Image title

Andressa Urach está passando por um drama. A modelo ficou internada após o hidrogel de suas pernas começar a causar dores e infecção. Em entrevista exclusiva ao jornal Daily Mail, Andressa contou que teve medo de morrer, mas demorou para perceber a gravidade da situação.

— Eu estava realmente planejando ter uma das minhas costelas removidas para ficar mais magra, e tirar um dos dedos do meu pé para que ele ficasse mais fino. Você pode acreditar nisso? Eu estava sem controle

— A cirurgia plástica se tornou um vício para mim. Mesmo quando o hidrogel começou a causar problemas e teve que ser removido, eu estava pensando no próximo procedimento que eu queria fazer. Por isso, eu acho que o que aconteceu comigo foi um aviso de Deus me dizendo "Desacelere, você precisa parar"

Image title

A modelo ainda disse que, agora, encarna a vida de outra forma.

— Eu nunca vou esquecer. Ficar frente a frente com a morte, percebi que nada mais importa. Tudo o que eu batalhei, minha beleza, minha bagagem, minhas roupas, meu carro — eu deixaria para trás. Esse foi o momento que eu percebi que não era nada, que estamos somente neste mundo para salvar as nossas almas

Image title

Andressa se arrepende por ter modificado tanto o seu corpo.

— Eu daria de tudo para voltar no tempo e fazer as coisas de forma diferente. Ninguém sabe o que eu estou passando, estou em constante agonia. Estou no meio de um terrível pesadelo

— Estou pagando pela minha vaidade. Eu era extremamente vaidosa. Tudo em busca da perfeição. Mas ao invés de deixar o meu corpo mais bonito, acabei danificando-o e deixando-o feio — lamentou

Ela, que queria ser famosa desde pequena, falou que nunca pensou na cirurgia plástica como algo grave.

— Nunca pensei duas vezes antes de ir para a faca e, quando pessoas me alertavam sobre os perigos, eu somente pensava: "Vou lidar com o que surgir". Eu ia ao médico como ia ao supermercado, dizendo "eu quero isso, aquilo". Só queria que as pessoas olhasse para mim e pensassem: "Uou"

Image title

A modelo nem sempre foi gostosona. Ela era bem magrinha na infância e adolescência e colocou a culpa de tantas modificações na sociedade.

— Sempre me achei feia. Eu era realmente magra quando mais nova e sofri bullying na escola por ser tão "ossuda". Eu não era alta o bastante para ser modelo de passarela ou catálogo, mas eu queria ser famosa. Na época, todas as mulheres da TV tinham curvas, grandes bumbuns e coxas grossas. A sociedade ditou como eu deveria ser se quisesse ser famosa

Image title

Em fotos chocantes, divulgadas por uma agência, as pernas de Andressa aparecem cheias de buracos.

— Estou com vergonha dos buracos nas minhas pernas, as cicatrizes que vão ficar em mim pelo resto da vida. Mas também são um troféu por eu estar viva. Agora, agradeço a Deus, eu posso dizer às mulheres que vaidade não é tudo. Se isso serve como exemplo para que alertas os outros sobre tudo isso, para salvar as outras mulheres da morte, essa foi a razão pela qual passei por tudo isso

A dor foi uma das piores de sua vida.

—  A dor é indescritível. É como a minha pele e músculos fossem rasgados em pedaços. É uma dor terrível que vai diretamente para os meus ossos. Ninguém deveria ter que passar por isso

Ela, que até usou esteroides, fez mais de dez procedimentos nos últimos dez anos. Na lista, está desde correção do nariz até "lipo vaginal"

— Eu coloquei 250 mil [de hidrogel] em cada perna, mas depois eu voltei e coloquei mais 250 ml em cada, pois achava que não estava grande o bastante. Eu só descobri depois que não poderia ter mais do que 50 ml. Foi numa clínica no Rio de Janeiro e o médico nunca me alertou sobre os perigos. Para ser honesta, nem sei se a clínica era legal e nunca perguntei. Só queria a cirurgia e não pensava nas consequências

Andressa contou ao jornal que consultou outros cirurgiões para tentar "consertar" suas pernas.

— Eu fui em outros médicos, mas eles se recusaram a tocar em mim, eles não queriam ter que corrigir o erro de outro cirurgião. No final, um cirurgião da família concordou em ajudar e eu comecei os procedimentos para remover o liquído

Image title

— Eu comecei a usar saias longas para esconder o que estava acontecendo. Eu não queria que ninguém visse como minhas pernas ficaram feias, mas imaginei que logo tudo ia voltar ao normal, achei que a remoção fosse simples e, na maioria dos dias, estava ocupada planejando coisas ainda mais drásticas no meu corpo.

Emocionada, relembrou o dia que foi ao hospital.

— Em três horas, eu estava implorando para a minha mãe para chamar uma ambulância. A dor era absolutamente insuportável. Comecei a vomitar violentamente e minha pressão caiu. A dor era tanta que eu estava delirando. A última coisa que me lembro foi de ter me sentido amo por ver que dois idosos estavam sentados em cadeiras perto de mim porque eu tinha ocupado o último leito da enfermaria. Minha mãe então me disse que eu precisava mais do que eles. Aí, eu apaguei e fiquei em coma pelos próximos três dias

Agora, está focada somente em melhorar.
— Não estou usando redes sociais porque fico depressiva por ver todos os meus amigos vivendo suas vidas. Eu fiquei depressiva no começo, por ter que ficar em casa tanto tempo, tive que tomar remédio para me acalmar. Mas agora estou me concentrando na minha recuperação, sabendo que tenho que ser paciente e levar um dia de cada vez

Parece que Andressa é uma nova pessoa após a experiência de quase morte.
— Me sinto culpada por ter sido arrogante e vaidosa. Eu falava sem pensar e, às vezes, acabava machucando as pessoas. Às vezes, eu machucava as pessoas só pelo meu jeito. Eu percebi que tenho que me reeducar para ser diferente, uma pessoa melhor. Esse foi o primeiro passo, fazer as pazes com quem eu briguei .

Agora, Andressa está em casa, mas com uma nova bactéria na perna. Segundo assessoria de imprensa, a modelo tem tratamento domiciliar do hospital Conceição, de Porto Alegre .